Macau – China

Um dia em Macau com a Jéssica.
Macau é, desde 1999, uma das regiões administrativas da China. Antes disso era colônia de Portugal. Foi um importante entreposto comercial entre China, Europa e Japão. A economia atual está vinculada ao turismo e ao setor de jogos (cassinos).
Macau é constituída pela península de Macau e pelas ilhas de Taipa e Coloane. Possui perto de 600 mil habitantes, sendo a maioria composta de chineses.
Saímos de  manhã de Hong Kong para Macau com a intenção de fazer um “bate e volta”. Assim como em Hong Kong, Macau também não exige o visto de entrada. A travessia é feita em ferry  e dura uma hora
Depois de quinze dias passeando pela Mongólia e Hong Kong  lendo (?!) as sinalizações  em chinês ou mongol, foi muito bom chegar a Macau e lê-las em Português. Apesar de ter o português e o chinês como línguas oficiais, não ouvimos os moradores falando português. Um comerciante chinês até tentou arranhar o português oferecendo-nos peças de artesanato. Foi divertido.
Quando descemos do ferry boat, pegamos um táxi para o centro histórico.
Para conhecer a história e a cultura de Macau, o ideal é visitar o Museu de História, que foi  inaugurado em 1998 e está localizado junto à Fortaleza do Monte. Possui dois níveis subterrâneos e uma plataforma onde estavam os Serviços Meteorológicos e Geofísicos da época. O museu mostra a forma que viviam as diversas comunidades que habitaram a cidade ao longo dos séculos. Fica localizado no centro histórico de Macau, próximo às ruínas da Igreja de São Paulo e junto à Fortaleza do Monte.
Fizemos a visita com tempo suficiente para entendermos e admirarmos a história e cultura daquele pedaço de mundo.  Saímos e almoçamos no restaurante que fica no pátio do Museu.
Passeamos pela Fortaleza do Monte, que atualmente é um espaço onde os moradores e turistas visitam para admirar a vista panorâmica de Macau. A fortaleza foi erguida para compor um complexo que integrava a igreja e o colégio de São Paulo, e constituiu-se como estrutura defensiva da cidade.
Na sequência visitamos as Ruínas de São Paulo, que consiste na fachada do que era originalmente da Igreja de São Paulo. A igreja foi construída em 1602 e destruída por um incêndio em 1835. Logo atrás das ruínas está um pequeno museu de arte sacra e cripta. Essa região é considerada o centro histórico e local de vista panorâmica da cidade de Macau.
Descemos as escadas e seguimos rua abaixo (Rua São Paulo) em direção à praça do Senado. No caminho, passamos pela Igreja de São Domingos e pelo prédio dos correios. Uma caminhada gostosa e interessante. Muitas pastelarias, lojas de artesanatos e lojas de marcas famosas.
A Praça do Senado é super movimentada. Tem o chão de pedras portuguesas, fonte e edifícios neoclássicos.  Aqui também é um bom ponto de partida para os demais pontos turísticos.

Continuamos andando mais um pouco admirando as construções históricas e modernas e decidimos entrar na fila do taxi para irmos até à Torre de Macau.

A torre foi construída em 2001 e tem 338 m de altura. Tem vista panorâmica de Macau, inclusive das ilhas Taipa e Coloane. Pode-se fazer um passeio a pé em torno da borda exterior, chamado de Skywalk, e também pular de bungee jump (233 metros). Dizem que é o maior skyjump comercial do mundo. Minha amiga Jéssica ficou tentada a pular. Me fiz de surda e muda. Jamé!
Como Macau é considerada o paraíso dos jogos e do luxo, não podíamos deixar de conhecer um dos famosos casinos. Então, rumamos para o The Venetian Macao.
Confesso que fiquei extasiada e agoniada com a monstruosidade e luxo do empreendimento. O Cassino é considerado o maior do mundo. É da mesma rede do The Venetian de Las Vegas. Passeamos pelo casino, andamos por corredores infinitos, deparando a cada tempo com portaria de grandes resorts, repetidas lojas de altíssimo luxo, espaço de lazer (shows, etc.), ruas com cara de Veneza e canais com pessoas passeando em gôndolas. O mundo do luxo e da fantasia. Conclui-se que muitas, mais muitas pessoas mesmo curtem essa forma de lazer, pois estava lotado. Conclui que não é minha praia.
Por volta de dez da noite jantamos num restaurante americano super bom, de Chicago, chamado Morton´s Steakhouse,  e depois voltamos para Hong Kong.
Um dia foi suficiente para conhecer os principais pontos turísticos. No entanto, Macau merece pelo menos mais um dia de visita. Para quem mora em Hong Kong é fácil – dá para voltar sempre.
Valeu Jéssica!!!
Restaurantes:
Morton Steakhouse

The Venetian Macao
www.venetianmacao.com

Museu de Macau
http://www.macaumuseum.gov.mo

The Venetian de Las Vegas

author-avatar

AMOR GASTRONÔMICO: RANGO OU CHIQUE. Cozinhar para mim é sinônimo de prazer. Sempre que posso estou na cozinha. Por isso, decidi criar este blog, e a partir de agora terei a oportunidade de compartilhar com vocês minhas experiências – positivas ou não – na arte da gastronomia. E também disponibilizar relatos de viagens e receitas testadas e aprovadas. Sejam bem vindos, Ivone Santiago.

Sem Respostas para "Macau - China"

    Deixe seu comentário

    %d blogueiros gostam disto: