Barcelona – Espanha

Barcelona – Maio de 2014.

Na programação de viagem para visitar Barcelona, Bilbao e San Sebastian, na Espanha, e o sul da  França, tivemos dois dias para passear por Barcelona. No primeiro, por sorte estava um lindo domingo ensolarado, e fizemos os passeios tradicionais do centro da cidade. Trânsito tranquilo e pessoas alegres. Vindo da estação de Metro Diagonal, iniciamos pelo Passeio de Gracia,  uma avenida bonita e larga. Nessa avenida ficam as principais casas arquitetadas por Gaudí, Casa Millá (Lá Pedreira) e Casa Battló. Visitas obrigatórias. Os conceitos e os materiais usados em ambas são totalmente diferentes, tornando-as únicas. Por ser de manhã e não ser alta temporada foi fácil adquirir os ingressos e fazer as visitas. Em seguida descemos calmamente pela avenida na esperança de encontrar um restaurante. Almoçamos no primeiro que achamos interessante. Nenhum destaque importante.                                                 

Após almoçarmos, seguimos até à Praça da Catalunha. Estava  bastante movimentada, crianças correndo e espantando os pombos, pessoas tomando sol e admirando a fonte. 

Dali caminhamos até a Catedral de Santa Eulália de Barcelona, que  está localizada no bairro gótico.  Construída entre os séculos XIII e XV, tem uma linda fachada de estilo neogótico. Quando procurávamos um lugar para descansar um pouco, vimos  guias oferecendo passeio de triciclo pelas redondezas a 15 euros por meia hora.  Não pensamos duas vezes e contratamos as pedaladas.  Dessa forma, conhecemos os bonecos gigantes, o Parque Citadela , o Arco do Triunfo e o Centro Cultural Born. Lógico que acabou passando de meia hora. Iríamos visitar o Museu Picasso, mas a fila de mais de 200 metros nos desanimou. Fomos a um Café de uns amigos nossos (Thais e Gustavo) na Calle Princesa,52, que fica na recepção de um hotel. Papo agradável, café, chá e pé na rua.

Deixamos nos perder pelas vielas do Born e do Bairro Gótico. Uma delícia. Cafés, restaurantes, igrejas, lojinhas e muita, muita gente de todas as partes do mundo. Passamos novamente pela Catedral e depois pegamos o metrô para o hotel. Após um banho relaxante, voltamos ao centro de carro para assistir a uma “Ópera Flamenca” no Palácio da Música Catalã. O espetáculo foi maravilhoso e o palácio é lindíssimo. Uma junção perfeita entre o flamenco e a ópera. Havia dois cantores de ópera, dois de flamenco, um pianista, um violoncelista, um violinista e um percussionista. Além deles, havia um casal de bailarinos flamencos, ambos de tirar o fôlego com suas performances. Essa peça foi vista por mais de um milhão de pessoas. O ingresso deve ser comprado antecipadamente pela internet.

A segunda-feira amanheceu chuvosa, e continuou assim até por volta das duas da tarde. Fizemos uma “visita molhada” à igreja Sagrada Família, que Gaudí deixou inconclusa  ao morrer, em 1926, e que continua em construção até hoje. É uma obra grandiosa, e os detalhes arquitetônicos são impressionantes, revelando as características do início do Século XX.

A próxima parada foi o Mercado La Boqueria, que fica nas Ramblas de Barcelona. É considerado o melhor mercado gourmet da cidade, e faz jus à fama. Além disso, há vários bares de tapas, sempre cheios de turistas. Subimos as Ramblas ainda sob chuva, que veio a parar só após o almoço. Concluímos que o comércio da avenida Ramblas é popular enquanto o da avenida Passeio de Gracia é seletivo, ou seja, é onde estão as grandes marcas. Com sol, descemos novamente as Ramblas e pegamos um ônibus para Barceloneta. A intenção era ir de teleférico até Montjuic, mas não estava funcionando. Paramos em um bar na beira da praia para bebidas e fotos. Percebemos que entre as pessoas que curtiam o sol havia um Senhor nu na praia, e o garçom informou que a cena é comum em Barcelona – a lei permite.
 

Voltamos ao hotel de metrô. À noite fomos jantar no Restaurante Dans le Noir? (No escuro?, em francês). Trata-se de uma experiência sensorial e humanística. Come-se no escuro, guiados por garçons cegos. Pode-se comer com as mãos ou com talheres. É uma surpresa atrás da outra. Não se sabe o que se está comendo. Com a ausência da visão, o olfato, o paladar e o tato ficam super estimulados. Ao final do jantar ficamos sabendo se acertamos os ingredientes dos pratos degustados e quais vinhos foram tomados. Fantástico.

Links e endereços:No outro dia de manhã rumamos para Bilbao.

Ah! Não podemos nos esquecer das preciosas dicas dadas pela Naiara, Thais e Gustavo, que moram em Barcelona. Valeu!

Restaurante Qu Qu – Passeio de Gracia, 24 – Barcelona

http://m.ququrestaurant.com/

Palácio da Música Catalã – Calle del Palao – Barcelona

http://www.palaumusica.cat/ca/

La Sagrada Família – Carrer de Mallorca, 401, Barcelona +34 935 13 20 60


http://www.sagradafamilia.cat/

Mercado La Boqueria – Rambla, 91 – Barcelona


http://www.boqueria.info/

Dans Le Noir ? – Passeig de Picasso, 10, Barcelona +34 932 68 70 17

http://barcelona.danslenoir.com/

Carro alugado na Sixt:
www.­sixt.­com

author-avatar

AMOR GASTRONÔMICO: RANGO OU CHIQUE. Cozinhar para mim é sinônimo de prazer. Sempre que posso estou na cozinha. Por isso, decidi criar este blog, e a partir de agora terei a oportunidade de compartilhar com vocês minhas experiências – positivas ou não – na arte da gastronomia. E também disponibilizar relatos de viagens e receitas testadas e aprovadas. Sejam bem vindos, Ivone Santiago.

2 Respostas para "Barcelona - Espanha"

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: